segunda-feira, 19 de agosto de 2019

RUBIM

Rubens Barrichello é um piloto diferenciado. Arrumei muita confusão com algumas pessoas ao dizer que ele é um grande piloto. Melhor que Schumacher. Aí mora a questão. Riam dizendo que os números não diziam isto. Mas, cansei de mostrar como mamã Ferrari favorecia o lemão Dick Vigarista.

O famoso caso do GP da Áustria em 2002, o carro deixado no cavalete na França também em 2002 e por aí vai.

Um dia para completar a esquisitice Rubim declarou que não havia diferença de tratamento entre ele e Michael. Lógico que não era ingenuidade. Ou era?
Sei que desisti de entender nosso melhor piloto pós Senna.

Por exemplo, com a Jordan, 

em 1993 Barrichello mostrou a que veio. Tem um post sobre sua incrível primeira volta em Donington Park saindo do décimo segundo para quarto. Má que Senna que nada.
Lógico que a Jordan miniatura é de 1994. Mas, é muito parecida com a do ano anterior.

A grande chance de Rubim levantar o caneco foi em 2009 quando surgiu a equipe Brawn com as sobras da Honda. Ross Brawn (ele mesmo. Um dos homens do "butão vremeio" da Ferrari) comandou a equipe com as melhores estatísticas da F1. Porque levantou o campeonato  com Jasão Butão (Jenson Button) e durou um ano.
Barrichello foi derrotado por ele mesmo, em verdade. Aquela história de ser obrigado a substituir Senna nos corações e mentes. 
Com um carro controverso mas, que dominava o pedaço, Rubim foi um piloto afobado o ano todo. Chegou ao ponto de insinuar que sua embreagem não era igual à de Butão. Pior. O vice campeão foi um moleque chamado Sebastian Vettel.

a Brawn dos pesadelos.

O tempo passou e Rubim veio para a Stock Car brasileira onde brilha sendo campeão em 2014.




domingo, 18 de agosto de 2019

FERRARI F246

Esta Ferrari, de 1958, ajudou Mike Hawthorn a ser o primeiro inglês campeão do mundo.

Lógico que com algumas maracutaias de mamã com a história de ordenar a troca de posições entre seus pilotos. Phil Hill, o segundo piloto, recebeu ordens de deixar Hawthorn ultrapassá-lo nas duas últimas corridas da temporada. Ganhou, como consolo, um contrato de três anos com a escuderia.
Mas, é outra história.
O que importa é a réplica.


 

sábado, 17 de agosto de 2019

FERRARI E LAUDA

Mais uma da coleção sob nossa guarda.
Ferrari 312T, de 1975.
"T" de transmissão transversal.

Primeiro título de Nikki Lauda, nosso Mickey Lauda e a quebra do jejum da fábrica italiana que amargava onze anos sem levantar o caneco de pilotos.


quinta-feira, 15 de agosto de 2019

MINIATURAS

Desde menino sonhava em colecionar os famosos carrinhos em miniatura da Matchbox.
O problema é o preço.
Até nos dias de hoje não são baratos.

Alguns genéricos não guardam tanta semelhança quanto àqueles da famosa marca.
Quando jovenzinho em sampa fazia incursões no centro para apreciar as lojas especializadas em modelos diversos.
Todas no entorno da Major Sertório (sim, ela!!!). Babava durante horas nos diversos modelos em exibição e voltava para casa.
Meu poder aquisitivo melhorou mas, não comprava os modelos. Montei, sim, dezenas de aviões da Revell que estão destruídos em alguma caixa por aí. Mudanças e mais mudanças provocaram danos nos modelos. Uma dó.

Bom, dentre as "heranças" que trouxemos do chefe do blog um monte de modelos de carros de corrida.
Para suprir a vontade antiga. 
Já postei uma Brabham do Nersão.

Essa de hoje tem um significado interessante. Trouxemos dos lagos italianos para Renato.
Havia uma feirinha na cidade onde estávamos hospedados e acabei, sem querer, barganhando o preço.
Perguntei, em português mesmo, quanto valia. O italiano respondeu, em italiano (ah vá!). Entreguei os euros (confesso que não lembro quanto) e o cara ficou olhando para mim com cara de "cadê o resto"?
Não entendi e o vendedor deu de ombros como a dizer "vá bene!"
Economizei um euro.

Ferrari de um dos meus pilotos preferidos, apesar de nunca ser campeão. Mas, era fodão e enfrentava o mimadinho da época Jackie Stewart. Clay Regazzoni.




Mais tarde, outras postagens semelhantes.

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

DISCOS VOADORES


Não é um post sobre os objetos voadores não identificados.
Mas, sobre discos de vinil, os bolachões.
Hoje em dia só os puristas ouvem/compram os discos de vinil. Aquele chiado característico de muitas e muitas audições não existem nos mp3 e quejandos da vida. Quanto mais chiados mais querido o disco.
Não existe mais lavar com detergente os discos numa tentativa de eliminar os riscos da idade. Ou a gordura dos dedos dos irmãos menores que não entendiam e pegavam o disco de qualquer jeito. Nunca mais abrir espaços nas estantes para guardar o novo orgulho da coleção. Para deixar as visitas mortas de inveja.

Não pensem que sou radical. Tenho dezenas de pen drives perdidos pela casa cheio das músicas preferidas.  E, neste momento ouço o tal do Spotify. Play list dos anos 80.
Neste ponto entra a beleza e o romantismo dos bolachões.

O chefe do blog tem dentro de si um espírito antigo. Gosta de história de maneira geral. Não é à toa que é especialista em história do direito. Sempre gostou de colocar os vinis para rodar no “som” de casa, quando mais jovem. O "som" era de 1979, comprado pela rainha da mansão, enquanto solteira..

Quando foi para sampa levou o “som” de casa e vários discos de vinil.
Discos que vinham desde a década de 70,

fiquei famoso nas paradas quando consegui comprar este disco
outros que emprestei e pensei nunca mais ver.

"quase perdi a amizade exigindo o disco de volta"
Outros que eram um sonho distante por serem caros 


um disco viajandão

Outros especiais.

prefiro a Rita mutante

well, well, well

Um deles, o álbum branco, foi presente inesperado de meu irmão no meu aniversário em 1980. Foi uma trégua nas complicadas relações familiares. 

o álbum branco aberto. Notem a heresia no  rodapé, "também em cassete"

E, por aí vai. Lógico que, quando falo que eram caros penso nos meus rendimentos na época. Nenhum. Então, reivindicar um disco era uma penosa tarefa. Ainda mais discos de rock. Véio Mero quase tinha um ataque do coração.

Bom, o tempo passou e o “som” (pick up, caixas enormes, amplificador), de 1979, morreu por falência múltipla dos órgãos.  Desde então o lado de cá do blog ensaiava comprar um “som” retrô de presente para rodar as relíquias.

Até que resolvemos presentear o chefe com um som desses no natal passado. Claro, é moderninho e só tem cara de anos setenta. Tem bluetooth e entradas USB. As caixas são menores. Mas, o som nos remete aos velhos tempos. De volta os chiados das minhas primeiras audições. Como minha irmã gosta de lembrar, em sampa, eu colocava as caixas de som no chão e a cabeça entre elas. Um fone de ouvido gigantesco. Lôcão.

Mas, de dezembro para cá muita coisa mudou. Renato, o chefe do blog, foi estudar/morar na Alemanha. Com isso, ele e Dani desmancharam o lar que abrigava o casal. Um episódio dolorido para todos. Quase nada foi levado. Algumas coisas foram em direção ao sul. A destinação dos pertences nos brindou com algumas relíquias.

Não sem um aperto no coração e nó na garganta trouxemos, entre outras coisas, o “som” moderno e os discos que um dia estiveram na casa paterna, foram para sampa e retornaram. E, outros que Renato adquiriu ao longo dos anos.

Os discos voadores.

Confesso que ainda não tive coragem de (ainda) rever todos porque trazem lembranças marcantes. O menino/adolescente/homem buscava refúgio nos sulcos da estrada de vinil sempre que o mundo se tornava hostil. Quando nuvens negras apontavam no horizonte o guarda chuva do rock servia de abrigo. Como diz o poeta “metal contra as nuvens”.




segunda-feira, 12 de agosto de 2019

GALINHA EM NOVO POLEIRO

O título poderia ser "eita boca" mas, o episódio era por demais evidente. 
Pedrinho Galinha não se adaptou ao novo e tóxico ambiente.
Os Toro Seniores adoram Mad Max, o bão do momento, e fritam quem não mostra serviço de imediato.

Lembrando que tiveram a maior paciência quando o belga/holandês/marciano andou aprontando todas tempos atrás.

Na verdade a equipe se esmera em destruir pilotos que poderiam ter sucesso se fossem tratados com mais decência. Os capos, principalmente, "hammer" Marko tem algum problema mal resolvido pelas teorias de Freud e, descontam defenestrando jovens talentos.

Vejam os casos de Tião Boêmio e João Eric Verme. Dispensados pelos Toro Mirins foram ser campeões na Fórmula chocante.

O próximo da lista a ser jogado no liquidificador é Alexander Albon, nosso querido Alex Álbum.
Ele assume no lugar de Galinha que, por seu turno, vai para os Mirins.
Se não entrar e arrebentar vai ser arrebentado.
Quem viver verá o resultado dessa lambança.

"ganhei um brinquedo novo!"
"vou ficar com o velho..."



sexta-feira, 9 de agosto de 2019

GALINHA NO TELHADO - PARTE II

Já discorremos sobre o fenômeno galináceo no telhado. Foi no começo do ano quando Pedrinho Galinha bateu o único carro da equipe dos Seniores nos treinos em Barcelona, atrapalhando a prima dona Mad Max.

Agora, no entanto, o telhado é escorregadio e o penoso pode escorregar a qualquer momento.
Depois das sofríveis atuações, principalmente se compararmos com o gostosão Mad, a situação de Pedrinho se complicou.

Até Cristiano Horny, normalmente discreto, desandou a cobrar melhoras imediatas.
Disse que não há pressão mas, se o gajo não sair do atoleiro vai perder o lugar.
E, dando uma martelada no dedão, não pensam em substituir Galinha neste ano.

Enfim, Pedrinho é aquele cara que deu piti um tempo atrás porque se dizia merecedor de um lugar nos Toro Mirins. Levou uma cacetada de Helmut "hammer" Marko. Mas, está onde está.
Ou estava.

As férias do penoso vão ser daquelas em se procura emprego.....

"cara...!"

quinta-feira, 8 de agosto de 2019

SAPOS

Sim, engolimos muitos sapos pelo caminho astral/filosofal/concretal da vida.
Sapos.
Tadinhos. São feios. São perigosos porque (alguns) venenosos. Falei que são feios?

Pois bem. Falei de Curitiba. Morei num bairro que hoje é chique. Bom Retiro. Na minha época um fim de mundo com esgoto a céu aberto.

E, sapos. Muitos.

Tem um episódio (que penso, já contei) que marcou minha existência com os batráquios.
Havia, ou melhor, há um rio chamado Ivo em Curitiba. Este esgoto desembocava no rio Ivo, que passava perto de minha casa, na rua Emílio de Menezes.
O  rio em questão era alvo das incursões científicas da molecada em busca de peixes para ornamentação.
E, só havia lambari no rio nesta parte da cidade.

Bom, já contei que pegávamos os peixinhos com destinação aos aquários domésticos da época. Significava que os escamosos iriam morrer por ingerir comidas que, normalmente, seriam destinadas aos cachorros. 
Bom, um certo dia, descobri que meus peixinhos estavam sofrendo mutação adquirindo pernas. Meu pai o famoso Véio Mero disse , aos risos, que meus amados peixinhos eram sapos. Sim, capturei peixinhos que, em verdade, eram girinos. Com o tempo os pretinhos lindos iriam se transformar em feiosos sapos. Preconceitos à parte, joguei os ditos no esgoto a céu aberto, que, de seu lado vivia habitado por zilhares de sapos.

Tudo terminaria neste traumatizante episódio se não fosse o fato de pisar em sapos quando saía à noite para o quintal. Sapo é um bicho frio e escorregadio. E, feio, como já disse.

Bom, duzentos anos depois estamos, parte do clã Onofri, num casamento aqui em Rib's num lugar improvável para sapos. Centro da cidade, sem rios por perto e etc.
Num dado momento da festa o avô babão pergunta "cadê zizi"?
Ninguém sabe, ninguém viu.
Lá fui eu em busca da criança perdida. Encontrei o menino extasiado com outras crianças em volta de um professor de biologia a discorrer sobre os batráquios. E, meu neto com um sapo na mão!
Todo feliz e interessadíssimo nas explicações do professor. Meu primeiro pensamento foi "quem convidou este sujeito?"
Mas, engoli em seco e tentei demover o guri a soltar o bichinho que deveria estar incomodado, isso e aquilo. O professor disse que estava tudo bem. Iriam soltar o batráquio logo mais.

Mas, a coisa ficou feia quando Henrique ofereceu o sapo ao apavorado avô. 
Dei uma desculpa qualquer e saí em disparada para um lugar mais seguro.

MINIATURAS

Nelsão e o canhão Brabham impulsionado pelo motor (de verdade) BMW.

Essa miniatura (e outras) tem história que será contada em posts adiante.






segunda-feira, 5 de agosto de 2019

LAMBÃO NA HUNGRIA 2019

Pois é.
Não tivemos nenhuma maldonadice raiz.
Apesar de não ter sido uma corrida entediante o GP da Hungria não nos agraciou com  uma panca digna do leitão porcamente assado de dona Gertrudes.

Mas, o conjunto da (não) obra nos força a conceder a iguaria ao, até então, único piloto a fazer frente ao piloto inglês Hamiltão.
Sim, o rebaixado Sandálias despenca ladeira abaixo a cada etapa do Mundial.

Largou em segundo, levou uma passada de mão de Luís, ficou capenga e Lacraia veio que veio. Ultrapassou e lascou um encontrão que afetou a asa dianteira do finlandês (do carro, evidentemente).

Para completar a letargia ficou na pista com a asa avariada sem entrar para a troca deixando a equipe a ver navios com a asa substituta nas mãos. Disse que não sabia a extensão dos danos. Pombas. Estava andando mais lento que a galera da frente......
Quando trocou ficou no meio daqueles sujeitos que gostam de um mata-mata. Deveria deixar todo mundo com as cuecas na mão. Correr com a faca nos dentes (como dizem os filósofos). Mas, faltou gana. Chegou em oitavo atrás de Vodkanem.

Enfim, estamos vendo Mad Max no modo pimpão fazendo e acontecendo. Esta a somente sete pontos atrás. Não temos dúvidas que vai superar Sandálias.

Infelizmente Sandálias subiu no telhado. Desta vez Escovão Cocô vai ter chances de pegar uma Mercedes no próximo ano.

Dona Gertrudes vai enviar, via Tartarudex, um leitão dos mais parrudos. 
"Para degustar durante as férias." 
Com molho de vodka que o menino está precisando.

domingo, 4 de agosto de 2019

OUSAR PARA VENCER

Antes de tudo comentário sobre a estratégia vencedora da Mercedes de hoje.
A gente se acostumou a ouvir o rádio nas transmissões e os pilotos reclamando da estratégia de corrida como a jogar a culpa do fracasso na equipe.
E, muitas vezes, seus pedidos serem ignorados. Quando dizem que os pneus acabaram muitas vezes a resposta é um "entendemos. É o que temos".

Hoje, não foi muito diferente. 
Quando Hamilton surpreendeu ao trocar pneus na volta 49 a primeira impressão era de garantir o segundo lugar tamanha a vantagem sobre a Ferrari de Lacraia. Mas, pensando melhor foi uma jogada de gênio. Ouvi o nome do estrategista na transmissão mas, não consegui encontrar em tempo para o post. Sim, não acompanho a globo. Meu fígado não aguenta. O único que escapa da babaquice geral é o Burp. Enfim, o blog concordou, via zap-zap, que foi uma jogada de gênio.
Até dona Gertrudes mandou um torpedo (ela é das antigas) dizendo que estava com dó da zebra Mad Max porque iria ser comido pelo leão Hamiltão.

Bom, o que vimos foi digno de um capítulo extra no já famoso "drivers for survivors". Será que Hamiltão chega em tempo de ultrapassar? Vai conseguir ultrapassar?  Mad Max vai jogar para cima, tipo ou vitória ou muro? E, segundão para Hamiltão tá ótimo porque Sandálias tá lá atrá?. E, assim por diante.

Mas, temos outro fator. Andam dizendo, tem post aí atrás, que o belga/holandês/marciano é melhor que o inglês nas paradas. Portanto, Hamiltão queria mostrar e chacoalhar. Melhor argumento que tirar os vinte e tantos segundos, ultrapassar Mad Max e vencer espetacularmente não existiria. 

E, como num filme de Holywood (exageros à parte), aconteceu o que aconteceu.
Hamiltão chegou com sobras, passou com sobras, venceu com sobras.
E, por incrível que pareça, creditou a vitória à estratégia da equipe. Mesmo porque, no rádio, durante a prova, duvidou da porra da bagaça.

E, o blog tem que se render ao amadurecimento de Mad Max. O normal seria agir como agiu Magunificúzem aos ataques de Ricardão: fechando a porta de maneira perigosa indo para o lado de dentro da tomada da curva no momento em que os freios são acionados. 
Mas, o pimpolho dos Toro Seniores reconheceu que estava muito mais lento e aceitou o segundo lugar. Braços a torcer do lado de cá do blog.

Finalmente. Seria melhor e conservador dona Mercedes garantir o segundo lugar de Hamiltão, sem a ousada troca, ao invés de arriscar. Em verdade o inglês é o campeão deste ano. Sandálias, seu principal oponente,  quando não se auto fode é fodido por alguém. Mas, bateu aquela luz tipo "estamos aqui para beber ou para conversar?"
Para entornar todas, vencer e ir para as férias com aquela sensação de "somos os fodões".

É isso.

Atualizando: O nome do "home" da corrida é James Vowles. O estrategista da parada da vitória. Uma rodada de chopp para ele.

sábado, 3 de agosto de 2019

SERÁ O AÉCIO?

ENTENDEDORES ENTENDERÃO

sexta-feira, 2 de agosto de 2019

TESTEMUNHA

"Testemunha ocular da história".
Um dos bordões do "Repórter Esso".
Quando o clã Onofri morava em Curitiba (ah, Curitiba!) véio Mero ouvia o "Repórter Esso". Voz inesquecível de Heron Domingues. Ondas curtas. Aquele chiado característico. Eu acompanhava as notícias com interesse e um misto de "puta quo pariu" e "carai" e "merdou", antes mesmo de aprender esse vocabulário tão explícito. E, criança que era, assombrado com o fim do mundo que se avizinhava. Guerra fria e golpe militar batendo nas portas. Lembrando que véio Mero era basicamente contra tudo aquilo que ali estava. Tem um posts aí atrás exemplificando.

O bom de ser véio é falar essa coisas (ondas curtas) e a rapaize não saber do que se trata. Somos (os véios) depositários de um mundo incipiente das coisas cósmicas que vieram aplainar o conhecimento humano e foder com tudo. Basta ver no que esta bosta de brasilis se tornou.

Onde eu estava?

Lembrei. Nesta terra abrasiva de Rib's os motoristas (se é que podemos chamá-los assim) são insanos.
As maiores barbaridades em um quarteirão.

Por conta disso lembrei de um episódio que envolveu meu pai e que serviu de exemplo para que seu filho (eu) escorregasse de ser testemunha ocular da história.
Para isso temos que voltar seiscentos e três anos..
Um belo e ensolarado dia meu pai dirigia em sampa quando um sujeito avança o "semarfe" vremeio e pimba, bate em alguém.
Véio Mero poderia seguir seu caminho. Mas, era um sujeito tremendamente honesto e consciente da tal da cidadania. Parou, forneceu seu telefone para a "vítima" dizendo que viu tudo e que testemunharia num provável processo.

Resumindo: teve um processo. Meu pai era chamado como testemunha e nada se resolvia. Ora o devogado do "culpado" ficava doente, não comparecendo, ora o "culpado" ficava doente.
Um belo dia, véio Mero (de terno!) perdeu a paciência e dirigiu-se ao magistrado dizendo que aquilo era uma palhaçada e que não iria mais perder um dia de trabalho nesta palhaçada porque palhaço ele não era. Conhecendo o dito cujo eu diria que ele causou. O juiz ameaçou prender o xiliquento por desacato. Ora, onde já se viu. Assim funciona o judiciário. Quanto mais pedras no caminho mais pavimentada a prestação jurisdicional. Ah ah.
Bom, sei que depois dessa nunca mais Véio Mero foi chamado. E, lembro que ele sempre se dizia preocupado com o resultado do imbróglio. 

Séculos depois aconteceu um episódio semelhante com este que vos tecla. E, o ocorrido com Véio Mero serviu de exemplo.
Cursava Química em Rib's. De manhã, no busão indo para a USP. Estava em pé no coletivo olhando para a frente quando um carro simplesmente atravessa a preferencial (do ônibus) e leva uma castanhada. O carro, um chevette, rodou e parou encarando o busão. Susto, gritos e alívio. Ninguém se machucou. Eu, o babaca de plantão, desandei a falar que vi que a motorista do chevetão passou direto tal e coisa, e coisa e tal. 
Bom, o motorista do ônibus pediu que o cobrador colhesse os nomes de quem viu o acidente para fins de B.O.. O cobrador veio direto para cima do falador porque ouviu o relato.
Quando pediu meu nome veio, num raio, a lembrança do acontecido com Véio Mero. E, bateu uma amnésia do carai no falador.
Disse que não vi, que ouvi dizer, que só vi o carro virado, que a motorista imprudente era bonita e etc.
Quase apanhei dos carinhas. Mas, imaginando o que viria pela frente valia a pena. 
Mesmo porque não tinha terno para a audiência.


quinta-feira, 1 de agosto de 2019

PITACOS

A FIA (da puta) anda mais perdida que cego em tiroteio com as punições (ou não) diante de circunstâncias que a obrigam usar seu poder de punição.

Na Alemanha mamã Ferrari soltou Lacraia de maneira perigosa no primeiro pit stop e o monogabaresco quase acerta Romã da Granja (o cara é imã em termos de problemas).

Punição inevitável. Certo que o piloto não tem culpa. Mas, coisas do futebol.
Apesar de tudo resolveram multar a equipe em algumas alfacinhas.
Precedente aberto. Mad Max levou cinco segundos pela topada que deu em Sandálias no GP de Mônaco. Ora, ora, ora.
Outras escuderias chiaram e a FIA resolveu que as punições vão ser em tempo e não em alfaces.

Decisão acertada porque, caso contrário, ninguém mais se preocuparia em liberar os pilotos de maneira limpa.
Seria mais divertido. Mas, diversão é o que os home não querem.

E, a piada da semana foi a declaração de Hamiltão dizendo que gostaria de ter Mad Max como companheiro de equipe. Aquele papo furado de que poderia mostrar que é mais melhor de bão que o belga/holandês/marciano em carros iguais.
Isso porque andam dizendo que Mad é o melhor piloto do grid.

Cá entre nós. Quem iria desejar uma encrenca no boxe ao lado?
O inglês tem mó vida mansa. Não vai querer um pimpolho metido à besta atazanando geral.

"será que colou?

terça-feira, 30 de julho de 2019

MELANCOLIA

Berlim.
Bar do "David Bowie".

A imagem da melancolia num fim de tarde.


MÁGICO

Alguns eventos parecem saídos de um filme.
Alguns de um filme meloso.

Daniil Kvyat, nosso Danieldo Kuajato, viveu emoções gigantescas neste fim de semana.
Na véspera da corrida nasceu sua filha do relacionamento com Kelly Piquet. Sim o sogrão do cara é Nersão Piquetezão. Imaginem o almoço de domingo.

No domingo, na corrida maluca, o cara chega em terceiro lugar.
Sobe no pódio pela terceira vez na carreira. Mas, como disse é o primeiro da segunda carreira.
Todos sabemos o que passou lá atrás sendo companheiro do protegido Mad Max e aguentando o zicado do Helmut "hammer" Marko.

Voltou e viveu este momento mágico. 
Como diria o poeta, a vida tem dessas coisas.

"Aooooo dílicia"


segunda-feira, 29 de julho de 2019

LAMBÃO NA ALEMANHA - 2019

Dona Gertrudes ligou quase sem fôlego depois de algum tempo da corrida na Alemanha. 
"Não estamos nem na metade".

Verdade. Foi uma corrida raiz.
Tá certo que numa certa altura pensei que Hamiltão iria levar o caneco.
Estava na frente sussa no elevador.
Mas, no chove não molha e chove e molha lá se foi o inglês para o fim do grid.

Bom, o blog ficou (claro) com muitas dúvidas sobre a maior maldonadice perpetrada no GP.
Os "meninos" da Rá se encontraram novamente. Parece reedição da Força Aí Índia com Escovão Cocô e Chapolin Perez. 
Pedrinho Galinha cometeu uma barbeiragem digna do leitão porcamente assado esfregando seu carro na traseira do carro de Albon, tendo que abandonar com pneu furado e asa quebrada. Galinha com asa quebrada.

Mas, dona Gertrudes encerrou a discussão.
Lembrou que o blog estava para rebaixar Bottas de Botas para Sandálias.
E, o cara deixou a desejar. Em nenhum momento foi aquele que está disputando o título. 
O erro, quando tentava alcançar Lancei Trol (vejam só!) foi uma cacetada no saco. 
Totó Lobão teve aquela atitude memística de socar a mesa. Sabem quando o chopp vem quente? A gente bate a mão na mesa como se a atitude fosse capaz de gelar (de medo) o líquido dos deuses.

Enfim, o maior perdedor foi o finlandês.
Por sua  maldonadice leva o leitão porcamente assado de dona Gertrudes e ainda por cima foi rebaixado para Sandálias.

Dona Gertrudes avisou que vai enviar via Tartarudex Urgex em tempo para ser degustado antes do GP da Hungria.
E calçado com Havaianas. Do Paraguai que soltam as tiras e dão chulé.


"crueldade, Luizão!"



sábado, 27 de julho de 2019

VERGONHA

Mamã Ferrari está vremeia de vergonha.
Dominaram os treinos que não valem nada e na hora da onça beber água foi aquele vexame.
Vetor, em casa não passou da volta de aquecimento e Lacraia nem saiu no Q3.

Uma equipe com o maior orçamento do planeta não pode fracassar dessa maneira.
Cabeças vão rolar.

E, Tião Vetor deve estar desesperado atrás de outra equipe. Eu diria que seria legal ele voltar para os Toro Seniores.
Enfim.

De resto é aquela velha história.
As Mercedes quando a coisa é para valer mostram a que vieram.
Hoje, pelo menos, o pimpolho Mad Max deu o ar da graça e tirou Botas do segundo.
Espero, sinceramente que amanhã ocorra um enrosco geral e Vodkanem vença.
Afinal larga em quinto.

E, para encerrar Botas vem mostrando que não tem consistência. Quando a gente espera que "agora vai" não vai. A continuar assim vamos rebaixá-lo para sandálias.

terça-feira, 23 de julho de 2019

CHEFÃO SÓ QUE NÃO

Passou meio que despercebida a notícia da, vamos dizer, queda de Maria Bonita, ou Mattia Binotto.
Como sabemos ele substitui Aquivabene como o capo de mamã Ferrari.
Acumulava as funções de diretor técnico da equipe e diretor da equipe. Sim, parece que diretor de tutti seria mais apropriado.

Sei lá. Se o cara anda muito atarefado com certas coisas basta pedir ajuda ao estagiário.

A impressão que eu tenho é que deram um jeito de tirar poderes de Maria.

A equipe errou no conceito do carro deste ano. Rápido nas retas mas, fraco de curvas. 
Tião Vetor (com seu inferno astral) reclama do carro saindo de traseira. Ou seja, se sai de uma curva derrapando não consegue ser dominante nas retas. Basta ver os resultados deste ano em que dona Mercedes domina todo o cabaret para concluirmos que a vaca vermelha chafurda no brejo.

Nas últimas corridas vem brigando mesmo com os Toro Seniores.
Para não ficar chato e defenestrar um cara que acabou de sentar na cadeira mor da nave vremeia fizeram o favor de nomear três gajos (como dizem lá em Portugal) para dividirem a conta do diretor técnico aliviando a responsa de Maria Bonita. Vai funcionar? Duvido.

Seria bom também substituir o estagiário (brincadeira) que toma conta das estratégias de corridas porque andam batendo cabeça todo final de semana.

segunda-feira, 22 de julho de 2019

HAMMER RIGHT

Inglês no sentido poético.
Mas, vejam só, finalmente concordo em alguma coisa com Helmut "hammer" Marko.

As caixas de brita. Ele, com eu, é fã das ditas.
Um erro e bye bye.
Lembrou que no tempo dele não havia essa viadagem de áreas de escape asfaltadas. Como em Paul Ricard, que por sinal virou um circuito horroroso. Parece uma obra bastarda de Romero Brito.

Então, o cara sai da pista, volta como se não houvesse amanhã e os fiscais (babacas quase sempre) ficam discutindo se punem ou não o barbeiro da hora.

Segurança? Então tirem Mônaco do calendário.

Estou com "hammer" Marko.
As caixas de brita separam os pilotos de verdade dos braços duros.

"Luizão? Tô contigo nessa...."

MAXIMIZANDO

Não é Mad Max mijando.

A categoria máxima (ah ah) do automobilismo necessita que tudo e todos funcionem no modo "máximo".

Então, nesta linha, leio uma notícia . Juro que tentei entender. Mas, a F-1 anda tão cheia de pequenas/grandes coisas que me dá preguiça.
Trilhem o link e tirem suas próprias conclusões.

Mas, pelo que entendi Mad Max senta o pé no acelerador com tanta "vontade" que o motor demora para responder.

E aí a Honda sentou com o pimpolho para tentarem resolver a questão.
Toyoharu Tanabe, o homem do pum atômico disse que "olhamos o lugar exato."
Ótimo, penso eu.

Mas, o que significa?
Respostas nos próximos capítulos. Mais exatamente no GP da Alemanha.


"Bigode, pé tenção. Óia o tamanho do ponto!"

QUALQUER CANTO É CANTO

Parece título de música bossa nova.

"Em qualquer canto eu canto,
qualquer canto é canto,
enquanto eu canto,
te encanto, 
em qualquer canto."

Se o Jão não tivesse passado dessa para melhor, cataria o violão e me eternizaria.....

Onde eu estava mesmo?

Ah!

O título diz respeito ao futuro de Escovão Cocô. Dizem que vai para a Renault. Dizem que vai para a Rá. Dizem que vai substituir Valério Botas. Dizem que vai plantar batatas.

No caso da Rá o buraco é mais embaixo. Boatos dão conta que Guenta Sentado, o capo dos boxes, ligou para Gene Haas (Eu Gênio Rá para os íntimos) o dono da equipe pedindo (de joelhos, juram) permissão para chutar a bunda de um dos dois pilotos, após Silverstone onde os dois se acharam nas primeiras curvas. Para ontem. Neste caso o substituto mais próximo seria Cocô. É melhor que os dois malucos de todas as voltas. Se bem que é maluco também.
Enfim, ninguém admite conversas nem zap-zap mas, tudo pode acontecer. Principalmente se maldonadices acontecerem na Alemanha.

Enquanto isso Escovão fica no cantinho com o violão, "em qualquer canto......"

"me dá um cockpit aí...."

sexta-feira, 19 de julho de 2019

TELHADO PEQUENO

A equipe Rá anda numa maré braba.
O carro parece uma esfinge a ser decifrada. Ora anda que é uma beleza, ora não anda.
Seus pilotos, campeões da reclamação, saem do ponto muitas vezes. Magnificúzem andou apanhando de vara de marmelo outro dia ao dizer que o carro era o pior entre os piores.

Para completar o barraco seu companheiro de equipe adora maldonadices. Bate sozinho, bate saindo dos boxes e se esfrega com o outro carro nas primeiras curvas em Silverstone (vídeo abaixo).
Lógico que Guenta Sentado num guenta mais.
Penso eu que os dois acentos estarão disponíveis em breve.
Mesmo porque, convenhamos, os titulares já disseram tudo o que tinham a dizer na F-1.


quarta-feira, 17 de julho de 2019

MOTIVAÇÃO NOSSA DE CADA DIA

Não assisto por inteiro mas, de vez em quando, alguém posta vídeos de coaching onde o motivador parece possuído em motivar os letárgicos (legal, motivador e motivar).

O que move o mundo?
Motivação. 

Para ganhar din din, comer o próximo/a, subir na carreira e mostrar ao mundo que é bão na coisa. E, por aí vai.

Não é preciso um sujeito ganhar dinheiro para vociferar o óbvio.

Indo ao ponto.

De vez em quando leio pilotos dizendo que se começam a pensar no mundo pós competição perdem o foco e a concentração necessária para comandar os boxes e pilotar em alto nível. Então, deixam de ser competitivos. Ou seja, tornam-se mais lentos e estão mais sujeitos aos acidentes por falta de concentração.

Tião Vetor está visivelmente com a cabeça fora da F-1. Diz que o carro não se comporta como ele gosta saindo muito de traseira. Em condições normais de temperatura e pressão leva pau do fraldento Lacraia. E, aquele olhar de "o que estou fazendo aqui?"

Há pouco deu uma declaração dizendo que seu futuro depende do novo regulamento. Conclui-se que jogou a toalha em 2019.

Eu aposto que vai se aposentar no final do ano.
Não tem para onde ir. Todas as equipes com carro bom (Mercedes e talvez os Toros Seniores) estão comprometidas. Essa é a realidade atual da F-1.
Levando em conta que Lacraia tem as costas quentes vez que é protegido de Todinho, filho do todo pavoroso Jão Todão, em futuro próximo terá perdido terreno político dentro da escuderia.
Aliado ao fato de estar desmotivado o futuro é o pijama.
Não tem vídeo de motivação que funcione,

LAMBÃO EM SILVERSTONE

Um lambão para lá de fácil.
Para nós, que torcemos por ele, foi triste.
Mas, dona Gertrudes ligou dizendo que o cara é réu confesso. Basta ir ao cadafalso. Dez segundos foram fichinha.
Enfim, o leitão porcamente assado vai para Tião Vetor e sua maldonadice para cima de Mad Max.
Vibramos com o suposto abandono do belga/francês/marciano mas, seu carro não tinha alusão aos Aston Martin dos filmes 007 à toa. Resistiu e o pimpolho maluco chegou em quinto.

Dona Gertrudes vai enviar o leitão via Tartarudex. Inovou ao adicionar coxas de frango porcamente assadas em homenagem à encoxada sideral.

domingo, 14 de julho de 2019

VIVER PÔCO BÁ MUCHÔ LÔCO

Sobrevivendo, vivendo. Acima de tudo a alegria por contar com familiares que adoro.




E, claro, com uma dose dos Beatles. Afinal, ninguém é de ferro.

sexta-feira, 12 de julho de 2019

LAMBÃO EXTRAORDINÁRIO!



Dona Gertrudes ligou esbaforida logo cedo enquanto rolava o primeiro treino (que não vale nada) para o GP da Inglaterra. O treino começou seis de la matina enquanto este que vos tecla ronronava feito um gato velho. Ainda tirou um sarro dizendo que eu ainda estou no horário europeu uma vez que acabamos de chegar do velho continente. 
"Então não reclama", berrou.
Bom, com dona Gertrudes não há necessidade de ligar o viva voz. A mulher fala tão alto que o quarteirão inteiro ouve. 
Ela dizia que estava preparando um leitão porcamente assado para Romã da Granja e sua patética saída dos boxes em Silvastone.
Berrava que o piloto da Rás é um gourmet com livros publicados e tudo o mais. Então será um leitão tipo cinco estrelas da Michelin.  
"Pilotar que é bom, nada", gargalhou.

Pulando alguma horas assisti o vexame perpetrado pelo maluco de todas as voltas. 
Uma maldonadice daquelas. Sim, outros pilotos bateram o carro saindo ou entrando nos boxes.
Como nosso querido David Couthard na Austrália em 1995.


aoooooo!

Como nosso também querido Gerard Berger em Estoril em 1993


aooooooo!

Mas, são pilotaços. Circunstâncias alheias ao talento dos envolvidos.
Já Romã anda devendo as cuecas. Reclamão sem mostrar resultados. Sinto que seu tempo está escoando. Trocando em miúdos subiu no telhado.
Piorando a situação o francês disse que ele e a equipe riram da bizarra situação. Como assim, cara pálida?
Ô loco diria Faustão para Serjão
O cara quebra um bico que custa zilhões de alfacinhas e todo mundo ri?
Ao invés de Rás a equipe deveria, neste caso, ser chamada de Zorra.

A explicação pela maldonadice veio, primeiro, pela feliz contratação do Sportv. Felipe Giaffone.
Ele notou que Granja apertou o "butão" que libera o limitador de pitlane (um dos seiscentos "butões" do volante) e tacou o pé no acelerador. Em consequência os cavalos do pum atômico saíram em disparada e o cara perpetrou nosso lambão extraordinário.
Pé tenção, Romã.......
Faz a coisa direito.
Enfim, dona Gertrudes disse que está enviando, via Tartarudex, um leitão todo gourmet com ervas do pântano próximo à Chernobyl e algas marinhas do manguezal de Maria Farinha, lá no Rio de Janeiro.

quinta-feira, 11 de julho de 2019

BARRACO

Poderia ser sobre a situação brasileira. Meninos nunca imaginei o brasileiro tão gado/burro.

Mas, vamos ao que interessa.
O patrocinador da Rás, a tal Rich Energy, mandou no ventilador dizendo que acabou a festança endinheirada uma vez que a equipe anda competindo mesmo é com a Williams. 
- Necas de dinheiro.

Hoje as notícias dão conta que o twiter torpedo foi manipulado pelo Tonho da Lua, quero dizer, o estagiário.
Os "energentos" disseram que houve uma ação desonesta que ocasionou a confusão toda.
É barraco feito novela mexicana. Pelo que entendi o sujeito desonesto é o próprio dono da empresa William Storey. Recentemente perderam o direito de usar o logo de um viado/cervo por ser cópia de uma fábrica de bicicletas. Pelo visto o acontecido gerou um briga intestina (daquelas com direito à merda mal cheirosa).

No meio disso tudo Guenta Sentado, o boca suja, chefe da atarantada Rás disse que vão usar o nome dos energéticos em Silverstone e mais não pode falar. Mesmo porque deve estar tão perdido quanto nós.

O jeito é esperar pelos próximos capítulos. 

"estou vendendo barba cabelo e bigode para o Kudebico...."

quarta-feira, 10 de julho de 2019

DE VOLTA

O blog saiu de férias, sem avisar, e retorna "esquecendo" o GP da Áustria. Aquele em que Mad Max não foi punido por jogar Lacraia fora da pista ao não dar espaço ao "monacacareco". Foi uma opção política, claro. Vetor foi punido no Canadá por não dar espaço ao Hamiltão. Mad Max fez pior ao tocar e jogar a Ferrari de Carlinhos para o "acostamento". Mas, dois pesos e duas medidas.  Essa é a F1 de momento. 

Vamos aos drops.
- Está passando, neste momento, o velho filme da fritura de Pedrinho Galinha. Helmut "hammer" Marko tacou o pau no francês dizendo, em resumo, que não entrega o que deveria e que reclama do carro sem ter razão. Tá na cara que o menino de 23 anos vai dançar.

- por falar em Toro Seniores dizem que Mimadon se ofereceu para o ano que vem. Ah, ah.
Se for verdade é muita cara de pau do espanhol. Quem quer um encrenqueiro por perto?
Só lembrando que ele foi responsável pelo fim do contrato entre os laranjas e a Honda e seu, então, pum problemático. Agora os japoneses estão encontrando o caminho da vitória (lindo né? "Caminho da vitória) com os Toro. Vão querer o problema de volta? 
E, Mad Max vai querer um companheiro traíra?
Mimadon tem que ir para casa. Seu tempo passou.

- Mesmo porque nem os laranjas querem saber dele. Encontraram um caminho de retorno aos bons tempos e confirmaram seus pilotos para 2020. Lando "chuck" Norris e Carlinhos Sains (noção).  É a primeira equipe a confirmar os pilotos para a temporada que entra.  

- Sabem o maluco que patrocinava a equipe Rás? Aquele proprietário de uma bebida energética que ninguém bebe?
Pois é. Ele, quero dizer sua bebida, perdeu uma ação e não pode mais usar o logo porque é muito parecido com o da fábrica de bicicletas Whyte Bikes. Pura picaretagem.
Pois a tal Rich Energy rompeu o contrato com a Rás dizendo que o baixo rendimento da equipe é inaceitável. Ha, ah, de novo.
Carai. Nem rindo.

sexta-feira, 21 de junho de 2019

SEXTA SEM SUSTOS

No frigir dos ovos ficou tudo na mesma.
Valeu a punição de Vetor na corrida passada e as Mercedes andando na frente.
Até mesmo as eternas reclamações de Romã da Granja, o braço duro.
Pela cara de seu chefe, o Guenta Sentado, Prieto "Fintinpaldi" logo vai ser titular da Rás.